Governo do Rio lança política para gás dos lixões

DENISE LUNA
DO RIO - FOLHA DE SP

O governo do Estado do Rio de Janeiro quer incentivar a geração de combustíveis a partir de resíduos orgânicos produzidos nos lixões.

Nesta quarta-feira (28), o governo estadual entregou à Assembleia Legislativa projeto de lei que prevê incentivos para fomentar a utilização do biogás gerado em aterros sanitários, e a distribuição como gás pelas concessionárias CEG e CEG Rio.

De acordo com o projeto de lei, as duas empresas serão obrigadas a adquirir todo o GNR (Gás Natural Renovável) produzido no estado, limitados a 5% do volume de gás convencional a ser entregue no mercado.

"Seria um volume de 350 mil metros cúbicos diários, é pouca coisa, o Brasil hoje consome 90 milhões de metros cúbicos por dia, mas é muito importante do ponto de vista ambiental", disse o secretário de Desenvolvimento e Energia do Estado do Rio, Júlio Bueno.

Bueno informou que a geração de energia produzido no novo lixão de Gramacho já está comprometida com a Petrobras, cerca de 200 mil metros cúbicos diários, mas que o Estado tem mais 15 lixões que poderão ser utilizados.

Os preços e os prazos adequados a viabilizar a produção e transporte do GNR serão regulados pelo Estado, por meio da Agência Reguladora de Energia e Saneamento Básico do Estado do Rio de Janeiro.
Postar um comentário

Postagens mais visitadas