Bairro de Jurujuba sofre com a "praga" dos caramujos

Moradores estão enfrentando alguns transtornos com uma infestação e, segundo eles, o problema se agravou com o episódio recente da chuva desta semana

Thaís Heringuer - O Fluminense


Os moradores de Jurujuba, na Zona Sul de Niterói, estão enfrentando alguns transtornos com uma infestação de caramujos que segue em casos isolados no bairro. O designer gráfico Luiz Thomaz, de 41 anos, afirma que o problema se agravou com o episódio recente da chuva desta semana.

“A última chuva piorou a infestação, eles estavam escondidos, acredito que por causa do terreno úmido, eles encontraram uma forma de permanecer e se espalhar, estão por todos os lugares, mas geralmente saem no final da tarde ou à noite” afirmou.

Segundo o designer, de dois anos para cá, foi possível perceber uma reprodução maior da espécie. Ainda de acordo com ele, é preciso sempre limpar o terreno para evitar que o animal se reproduza em grande escala.

A população afirma que é possível, em determinados períodos inusitados, se deparar com caramujos nas paredes das escolas e também nos postos de saúde da região. Alguns moradores se dizem preocupados por causa do risco da contaminação.

“Devido aos locais inusitados em que eles aparecem, temos medo do contato que os caramujos podem ter com as crianças, que por não terem noção do perigo, pegam o animal com a mão. O contato com a boca é quase inevitável”, afirmou o morador da Praia da Eva, Pedro João, de 53 anos. 


Prevenção - O uso de sal no combate do caramujo é considerado ineficaz e há alerta para que não se permita o contato dele com crianças. O caramujo pode contaminar o ser humano por hortaliças ou verduras lavadas sem higienização correta. Por isso, os alimentos precisam ser reservados na água sanitária por até 30 minutos na medida de uma colher de sopa para um litro de água antes do consumo. É preciso evitar contato com animal e estar com proteção nas mãos, que podem ser luvas ou sacos plásticos.
Postar um comentário

Postagens mais visitadas