Uma idéia que ilumina o mundo

Afonso Capelas Jr. - Planeta Sustentável

LAMPADA_OK
Quem diria que uma simples ideia de um mecânico brasileiro tenha dado tão certo que acabou por cair nas graças de todo o mundo. A lâmpada feita apenas com umagarrafa PET e uma mistura de água e alvejante criada por Alfredo Moser para iluminar sua oficina na cidade mineira de Uberaba – durante os sucessivos apagões que aconteceram em 2002 no Brasil – hoje está disseminada por vários países.

De acordo com a agência de notícias BBC Brasil, já são mais de um milhão de casas iluminadas pela invenção de Moser em comunidades carentes de países da África, Ásia, América Latina e Oriente Médio. Isto depois de reportagens feitas com o inventor Alfredo Moser terem corrido o mundo via YouTube.

As comunidades pobres das Filipinas são as que mais se beneficiam da lâmpada. Em 2011, a fundação MyShelter de ajuda humanitária adotou a invenção de Moser para criar o projeto “Um litro de luz“. O objetivo é iluminar de forma eficaz e barata mais de 10 mil casas nas favelas do país.

Na capital Manila, com a ajuda de alunos do Instituto de Tecnologia de Massachusetts (MIT) – os próprios moradores aprenderam a montar suas lâmpadas e instalá-las nos telhados. Na maioria das favelas filipinas as casas são tão próximas umas das outras que quase não permitem janelas e acesso à luz natural. Esse é o ambiente ideal – em regiões onde o sol predomina durante quase todo o ano – para uma lâmpada feita de PET funcionar perfeitamente.

Atualmente o projeto “Um litro de Luz” se mantém graças a doações e está a pleno vapor nos quatro cantos do planeta: da Colômbia ao Vietnã, do Camboja a Bangladesh, da Espanha à Suíça e em muitos outros países. No Brasil, pesquisadores da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade Presbiteriana Mackenzie também desenvolveram projetos para instalação das lâmpadas de PET – que no meio acadêmico são pomposamente chamadas “Lâmpadas Moser” – na construção civil em escala industrial.

Interessante saber que a lâmpada engarrafada nasceu quase ao acaso e pela necessidade, como acontece com quase todas as grandes ideias. Ela funciona assim: em uma garrafa PET de dois litros coloca-se água e um pouco de água sanitária para evitar a proliferação de fungos que diminuem a luminosidade. O recipiente de plástico é então instalado em telhados que não tenham forros. Uma parte da garrafa fica do lado de fora do telhado para captar a luz do sol e refleti-la para o ambiente interno. A potência é equivalente a de uma lâmpada comum de 60 watts.

“Uma pessoa que conheço instalou as lâmpadas em casa e em um mês economizou dinheiro suficiente para comprar itens essenciais para o filho que tinha acabado de nascer?”, disse, feliz, o inventor Alfredo Moser, à reportagem da BBC. Ao que profetizou o representante da fundação MyShelter, Illac Ângelo Diaz: “Alfredo Moser mudou a vida de um enorme número de pessoas, acredito que para sempre”.


-->
Postar um comentário

Postagens mais visitadas