No AP, morte de peixes em rio próximo a hidrelétrica assusta pescadores

Imap diz que um laudo técnico pretende apontar as causas do problema.
Espécies estão sendo encontradas mortas às margens do rio Araguari.


Dyepeson Martins
Do G1 AP com informações da TV Amapá

Pescadores dizem estarem assustados com a quantidade de peixes encontrados mortos às margens do rio Araguari, em uma região próxima a barragem da usina hidrelétrica em construção no município de Ferreira Gomes, a 137 quilômetros de Macapá. O Instituto de Meio Ambiente e Ordenamento Territorial (Imap) informou que a empresa responsável pelo projeto foi notificada na sexta-feira (1º) e que um laudo técnico vai apontar as causas do problema. A obra possui Licença de Operação (LO) desde o dia 17 de julho e tem previsão de entrar em funcionamento em janeiro de 2015.

Peixes estão sendo encontrado mortos nas margens do rio Araguari (Foto: Reprodução/ TV Amapá)Peixes são encontrados mortos às margens do rio Araguari, em Ferreira Gomes (Foto: Reprodução/ TV Amapá)

O pescador Cesário Gomes, desconfia que produtos químicos tenham sido jogados pela hidrelétrica no leito do rio. "Um funcionário me falou que foi feita uma limpeza [dentro da hidrelétrica] com sabão em pó, solução de bateria e outros produtos", ressaltou Gomes, acrescentando que, segundo a comunidade, as espécies acari, filhote e tucunaré são as mais atingidas.

O gerente do empreendimento, Anselmo Oliveira, afirma que não houve nenhum tipo de lavagem utilizando produtos químicos e ressalta: "Estamos apurando o que houve. Já coletamos amostras da água e dos peixes mortos, pois é uma grande preocupação nossa".

Técnicos da Polícia Técnico-científica do Amapá (Politec) realizaram perícia na área onde ficam as comportas e turbinas da usina. O órgão emitirá um laudo que será confrontado com o relatório a ser expedido pela empresa em 30 dias, conforme explicou o diretor técnico do Imap, Jesse Janes.

"Se o problema for causado por contaminação da água a comunidade também pode ser afetada. Mas existe a possibilidade de ter sido consequência de uma ação mecânica, quando uma massa de água é despejada em um canal fazendo com que um deslocamento do líquido empurre os animais para paredes e pedras, causando a mortalidade", comentou.

Os laudos da Politec e Imap serão concluídos no prazo de 15 a 20 dias e podem acarretar em multas para a empresa, acrescentou o diretor técnico. "Se for comprovada que as mortes são oriundas de ação da empresa ela deverá ser autuada por dano ambiental. Importante ressaltar que a mortalidade foi em um canal, em uma área específica", frisou.

A Colônia de Pescadores de Ferreira Gomes formou um comissão para pedir a apuração do caso ao Ministério Publico (MP) do Amapá. Segundo a delegacia de Polícia Civil da cidade, um inquérito foi aberto para investigar as mortes.


Postar um comentário

Postagens mais visitadas