Bombeiros e Defesa Civil tentam controlar incêndios em serra do TO

Serra do Carmo, que fica próximo a Palmas, queima há três dias.
Equipes reclamam que o acesso à mata fechada dificulta o trabalho.


Monique Almeida e Jesana de Jesus
Do G1 TO

Um incêndio na Serra do Carmo, próximo a Palmas, preocupa as autoridades do estado. O fogo começou no último domingo (7) e ainda persiste. Segundo o Corpo de Bombeiros, as chamas se alastram rapidamente por causa do vento e da vegetação seca e ameaçam parte da rede elétrica.

Fogo na Serra do Carmo pode causar danos à rede elétrica (Foto: Reprodução/TV Anhanguera)

Fogo na Serra do Carmo pode causar danos à rede elétrica (Foto: Reprodução/TV Anhanguera)

O major Primo, do Corpo de Bombeiros, disse que há vários focos na serra, principalmente às margens da TO-050 e que os bombeiros e as brigadas estão monitorando constantemente a área. "Os focos têm surgido com rapidez. Nós combatemos um e às vezes, duas horas depois, surgem outros. O período de estiagem está crítico".
O desafio dos profissionais é não deixar com que as chamas atinjam a vegetação fechada e de difícil acesso. "Quando surge um foco na margem, nós buscamos controlar rapidamente para evitar que o fogo chegue na parte fechada e não percamos o controle. Estamos nos desdobrando, mas tem surgido novos focos constantemente", disse.

Nesta quarta-feira (10), os bombeiros e os brigadistas da Defesa Civil estiveram às margens da rodovia estadual, saída para Taquaruçu, distrito de Palmas, na tentativa de combater o fogo. O trabalho também foi realizado nesta terça-feira (9) em uma área composta por chácaras localizadas na saída para Aparecida do Rio Negro.

"O problema é que a equipe de combate é limitada em relação ao grande número de pessoas que utilizam o fogo para abrir pastagens", explicou o superintendente da Defesa Civil de Palmas, Iranilto Sales. Segundo ele, neste mês de setembro foi lançada a campanha "Setembro sem fogo" com a intenção de "reunir instituições de combate e fiscalização para ajudar na diminuição dos focos, já que o clima quente do Tocantins favorece a disseminação das queimadas". No próximo sábado (13), haverá o "Dia D", segundo o superintendente. As equipes se juntarão para fazer um trabalho de educação ambiental e fiscalização em toda a zona rural da capital.

Por causa das queimadas, na tarde da última quinta-feira (4), foram registradas duas quedas de energia em Palmas. Conforme a Companhia de Energia Elétrica do Estado do Tocantins (Celtins), um incêndio na zona rural de Miracema do Tocantins, próximo ao município de Lajeado, danificou uma das três linhas de alta tensão que abastecem a capital.

Números


O Tocantins está em quarto lugar entre os estados com maior número de focos de incêndio no país em 2014. De acordo com o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), até esta quarta-feira (10) foram registrados no estado 7.436 focos, que correspondem a cerca de 30% mais queimadas do que todo o ano de 2013. Mato Grosso ficou em primeiro com 15.795 focos. No Pará são 11.754, ficando em segundo e o Maranhão em terceiro com 9.866.

Clima

Segundo o meteorologista Luis Cabral, da Fundação Universidade do Tocantins (Unitins) setembro tem apresentado maiores picos de temperatura em relação aos outros meses. "O normal é registrarmos uma temperatura em torno de 35º, mas hoje [quarta-feira, dia 10], por exemplo, a temperatura atingiu 38,5. Ou seja, ela tem variado de 3 a 4º cima da média climatológica".

O calor e a seca, que contribuiu para o aumento das queimadas, tem como causa a forte massa de ar seco em algumas regiões do país, sobretudo no Tocantins, conforme Cabral. “Estamos em situação de alerta. Esta massa favorece alta temperatura e baixa umidade, em torno de 20%. A temperatura deve continuar assim até o próximo fim de semana". De acordo com o meteorologista, não há previsão de chuva para os próximos dias.

Postar um comentário

Postagens mais visitadas