Bombeiros seguem trabalhos para retirar árvores derrubadas no Rio

Pelo menos 30 árvores foram arrancadas pelo vento na cidade.
Na madrugada, ventos chegaram a 64,4 km/h; dia será chuvoso.


Do G1 Rio

Um dia depois do vendaval no Rio, bombeiros ainda trabalham para liberar ruas e calçadas, interditadas pela queda de cerca de 30 árvores, segundo o Centro de Operações. Na madrugada desta quinta-feira (4), ainda foram registrados ventos moderados e fortes na cidade e em alguns bairros faltou luz. No Forte de Copacabana, os ventos chegaram a 64,4 km/h, na madrugada.

Mais uma árvore caída na Lagoa (Foto: João Ricardo Gonçalves / G1)Avenida Epitácio Pessoa chegou a ser interditada (Foto: João Ricardo Gonçalves / G1)

A previsão para esta quinta-feira é de dia chuvoso e com ventos não tão fortes quanto na quarta-feira (3). As rajadas podem chegar a 70 km/h. O tempo virou porque os ventos mudaram de direção e estão soprando do mar em direção ao continente. As temperaturas caem. A média na Região Metropolitana do Rio é de 24 graus.

Ruas da Zona Sul e da Zona Oeste ficaram às escuras durante a madrugada, quase 24 horas depois que fortes ventos atingiram o Rio. Segundo a Light, a interrupção foi causada por um novo vendaval. Houve falta de energia elétrica em trechos do Jardim Botânico, Ipanema e na Barra da Tijuca, mas que por volta das 4h45, esses problemas, segundo a Light, já estavam solucionados.

Na manhã desta quinta, foram registrados ventos de 42km/h em Copacabana, 46km/h na Restinga da Marambaia e de 26 km/h, em Santa Cruz, na Zona Oeste.

Na quarta-feira (3), a Comlurb registrou a queda de 40 árvores e 23 ruas tiveram o tráfego interrompido por isso. O trabalho de retirada dos galhos ainda não terminou. A Rua Vinícius de Moraes, em Ipanema, na Zona Sul, por exemplo, só foi liberada por volta das 4h.

Segundo o chefe-executivo do Centro de Operações Rio, Pedro Junqueira, a cidade começa a se preparar para os fortes ventos a partir da previsão do tempo. Ele disse que graças ao trabalho em conjunto dos órgãos municipais e estaduais, como Comlurb, CET-Rio, e Corpo de Bombeiros, por volta do meio-dia de quarta-feira, as 23 ruas que tinha sido obstruídas por queda de árvores já estavam praticamente livres para o tráfego.

“Temos previsão ainda de ventos fortes. Não tão fortes quanto os ventos de quarta-feira. Mas permanecemos de prontidão, com todas as gerências e coordenadorias dos órgãos responsáveis para liberar as ruas da cidade”, disse Junqueira.

A região da cidade onde mais choveu no início da manhã desta quinta-feira foi a da Tijuca, na Zona Norte. Mas uma chuva considerada de fraca a moderada.


Postar um comentário

Postagens mais visitadas