No Amapá, pesca de 22 espécies ficará proibida por quatro meses

Período de reprodução natural de peixes acarretará na restrição.
Governo do estado informou que fiscalizações serão intensificadas.


Do G1 AP

O Instituto de Meio Ambiente e Ordenamento Territorial do Amapá (Imap) informou que a proibição da pesca de 22 espécies de peixes irá iniciar no dia 15 de novembro e terá duração de quatro meses no estado. A restrição irá ocorrer durante a Piracema, que corresponde ao período de reprodução natural dos animais.

Peixes são criados em tanques de até 400 metros quadrados (Foto: Reprodução/TV Amapá)Piracema corresponde ao período de reprodução das espécies (Foto: Reprodução/TV Amapá)

Ainda de acordo com o Imap, o desrespeito ao tempo de restrição pode acarretar em multa de R$ 1.251,00 a R$ 50 milhões, além da apreensão do pescado e interdição da atividade do responsável pelo produto. Porém, os pescadores poderão solicitar ao Ministério do Trabalho o seguro defeso, benefício equivalente a um salário mínimo mensal que garante a subsistência dos trabalhadores até março de 2015.

Durante a Piracema, os pescadores e comerciantes serão obrigados a informarem ao Imap a procedência dos estoques de pescado in natura, resfriados ou congelados, provenientes de águas continentais. A medida também vale para frigoríficos, peixarias e postos de venda.

"Eles podem comercializar desde que tenham em estoque o que já foi pescado. Nós vamos intensificar as fiscalizações junto com o Batalhão Ambiental. Todo e qualquer produto ilegal será apreendido", destacou o Diretor técnico de Meio Ambiente, Jesse Janes.


Postar um comentário

Postagens mais visitadas