Cheia em Coari faz número de cidades em emergência subir para 20, no AM

Na cidade, são 4.350 famílias afetadas pelas inundações.
As 24 cidades prejudicadas recebem ajuda humanitária, diz Defesa Civil.


Do G1 AM

A cidade de Coari, localizada a 363 km de Manaus, entrou em estado de emergência nesta sexta-feira (8) em decorrência da cheia que atinge o Amazonas neste ano. Agora, o estado contabiliza 20 municípios na mesma situação. A cidade de Boca do Acre está em estado de calamidade pública. Ao todo, 29.083 famílias estão sendo afetadas pelas inundações.

Água do rio invadiu rua de Coari (Foto: Defesa Civil/Divulgação)Água do rio invadiu rua da cidade de Coari (Foto: Defesa Civil/Divulgação)

Além de Coari, outras 19 cidades estão em situação de emergência. Na calha do Rio Juruá os municípios em emergência são: Itamarati, Guajará, Ipixuna, Envira e Juruá, na calha do Rio Purus estão: Canutama, Tapauá, Carauari, Pauini e Lábrea. Atalaia do Norte, Benjamin Constant, Tabatinga, Amaturá, Santo Antônio do Içá, São Paulo de Olivença e Tonantins, situados no Alto Solimões, também estão em situação de emergência por causa do avanço das águas.

Em Coari, que fica na Calha do Médio Solimões, são 4.350 famílias afetadas, segundo dados da Defesa Civil. Dez estão em abrigos municipais. Na cidade, o nível do rio está em 17 m. A máxima registrada em 2012 foi de 17,65m.

Segundo a Defesa Civil do Estado, nos últimos dois dias, técnicos do órgão estiveram na cidade para atestar a anormalidade e avaliar os danos causados pela cheia. A cidade deve ser incluída no cronograma de ajuda humanitária do governo estadual.

Cheia no estado

A Defesa Civil informou que enviou 374 toneladas de alimentos não perecíveis às cidades afetadas pela cheia no Amazonas. O objetivo é garantir alimentos aos ribeirinhos, que nesta época ficam com a produção agrícola comprometida. Além de alimentos, a população recebe kit´s dormitório (colchões, redes, mosquiteiros) e de higiene pessoal, medicamentos, filtros de água, hipoclorito de sódio.

O município de Boca do Acre é o mais afetado pela cheia, com 20.905 pessoas de 4.181 famílias atingidas. A cidade, que fica no Sul do estado e banhado pelo Rio Purus, está em estado de calamidade pública.

Humaitá (Rio Madeira) e outros três municípios do Médio Solimões - Fonte Boa, Uarini, Alvarães - estão situação de alerta.


Postar um comentário

Postagens mais visitadas