Cheia no Rio Solimões faz Tabatinga decretar emergência, no Amazonas

Quatro municípios estão em alerta; Boca do Acre decretou calamidade pública.


Do G1 AM

Subiu para 13 o número de cidades do Amazonas em situação de emergência em razão da cheia deste ano no estado. Nesta terça-feira (7), Tabatinga, que é banhada pelo Rio Solimões, passou a integrar a lista dos municípios em emergência. Outras quatro cidades estão em alerta contra as inundações. A cheia já afeta mais de 80 mil pessoas em todo o Amazonas.

Equipes acompanham situação no município (Foto: Defesa Civil/Divulgação)Equipes acompanham situação no município (Foto: Defesa Civil/Divulgação)

Nesta terça, o nível do Rio Solimões chegou a 13,05m em Tabatinga. Segundo a Defesa Civil, a cota está a 77cm da cheia histórica registrada em 1999, quando o nível atingiu 13,82m.

A cheia dos rios no Amazonas teve início em meados de janeiro. As regiões das calhas dos rios Purus e Juruá, na parte Sul do Amazonas, são as mais afetadas. A Defesa Civil do Estado já realizou ao todo o envio de 325.500 toneladas de alimentos não perecíveis, para atender as famílias afetadas.

As cidades em emergência são: Itamarati, Guajará, Ipixuna, Eirunepé, Envira, Canutama, Tapauá, Carauari, Pauiní, Lábrea, Atalaia do Norte, Benjamin Constant, além de Tabatinga. Boca do Acre está em estado de calamidade pública. No local, famílias enfrentam escassez de água potável e alimentos.

Segundo a Defesa Civil, Benjamin Constant, Santo Antônio do Içá, São Paulo de Olivença e Tonantins, todos situados na Calha do Rio Solimões, estão em estado de alerta. Segundo a assessoria do órgão, equipes realizam monitoramentos da subida dos rios e orientação à população.

Postar um comentário

Postagens mais visitadas