Espírito Santo tem 32 cidades em situação de emergência

Reconhecimento dessa condição facilita repasse de verbas da União.

Desse total, apenas dois não foram por causa da seca.


Wesley Ribeiro | A Gazeta

Trinta e dois municípios do Espírito Santo estão na lista de cidades em situação de emergência do Ministério da Integração Nacional. Desse total, apenas dois não foram por motivo de estiagem.


Situação do Rio Santa Joana, em Itaguaçu (Foto: Reprodução/ TV Gazeta)
Situação do Rio Santa Joana, em Itaguaçu (Foto: Reprodução/ TV Gazeta)

Em 2014, quando começava o período de seca, apenas 14 constavam na lista que garante recursos aos municípios afetados.

Mas o total de reconhecimentos do Ministério é 35. Isso porque municípios como Aracruz, Boa Esperança e Marilândia, aparecem com dois decretos de emergência publicados. Válido por seis meses, o documento é a primeira medida que o município, estado ou Distrito Federal deve tomar para solicitar o reconhecimento de situação de emergência, segundo dados divulgados pelo ministério.

Com isso, é possível conseguir recursos da União tais como socorro, assistência às vítimas, restabelecimento de serviços essenciais, reconstrução e verba federal para obras hídricas.

Antes de receber o dinheiro, no entanto, é necessário apresentar o Plano Detalhado de Resposta (PDR), onde se devem ser detalhadas todas as necessidades.

Na lista do ministério, não aparecem cidades da Grande Vitória. Os únicos inclusos, não por estiagem, são Cachoeiro de Itapemirim (vendaval) e São José do Calçado (granizo).

Municípios em situação de emergência

 
São eles Água Doce do Norte, Alto Rio Novo, Aracruz, Barra de São Francisco, Boa Esperança, Cachoeiro de Itapemirim, Castelo, Colatina, Conceição da Barra, Domingos Martins, Ecoporanga, Governador Lindenberg, Itaguaçu, Jaguaré, Marilândia, Mimoso do Sul, Montanha, Mucurici, Nova Venécia, Pancas, Ponto Belo, Rio Novo do Sul, Santa Leopoldina, Santa Teresa, São Domingos do Norte, São José do Calçado, São Mateus, São Roque do Canaã, Venda Nova do Imigrante, Vila Pavão, Vila Valério.

Vazão dos rios aumenta, mas racionamento continua

 
Assim como no caso do Rio Jucu, com as pancadas isoladas de chuvas nos últimos dias, a vazão do Rio Santa Maria da Vitória também aumentou da segunda (26) para a terça-feira (27), saindo de 1.883 litros por segundo para 2.162 l/s. Mas, apesar da boa notícia, o racionamento de água na Grande Vitória continua.

O aumento foi divulgado nesta terça no boletim de vazão da Agência Estadual de Recursos Hídricos (Agerh). A vazão do Rio Jucu manteve-se a mesma: 5.127 litros por segundo.

Ambas, porém, continuam abaixo da vazão crítica para esta época do ano e muito longe da média, que no Rio Jucu, por exemplo, chega a 15.965 litros por segundo.

Segundo informações da Companhia Espírito Santense de Saneamento (Cesan), a princípio as últimas chuvas registradas não foram suficientes para elevar o volume de forma que dê segurança ao abastecimento.



Postar um comentário

Postagens mais visitadas