Morte de 78 botos cinzas em 17 dias na Baía de Sepetiba, RJ, intriga pesquisadores

Causa da mortandade em massa ainda é uma incógnita. Número representa cerca de 10% da população da espécie no local.


Por RJTV


Pesquisadores do Instituto Boto Cinza estão intrigados com a morte em massa da espécie. Foram 78 casos em 17 dias na Baía de Sepetiba, como mostra o RJTV desta terça-feira (2).

Resultado de imagem para Pesquisadores alertam para uma mortandade em massa de botos na Baía de Sepetiba
Pesquisadores alertam para uma mortandade em massa de botos na Baía de Sepetiba | Reprodução

Ali está concentrada a maior população de botos cinzas do planeta. Ainda assim, estão ameaçados. O número subiu repentinamente.

De acordo com os biólogos, a população local é de cerca de 800 botos - ou seja, quase 10% deles morreram em pouco mais de duas semanas. O motivo ainda é desconhecido.

A conclusão deve sair até o fim do mês. Exames em laboratórios especializados estão sendo realizados. Pesquisadores da ONG SOS Botos afirmam que a pesca predatória não é o motivo.

Todos os dias, o instituto tem recolhido de quatro a cinco carcaças dos animais. Os filhotes estão sendo encontrados com lesões de pele. Muitos deles estão magros.

O padrão de mortalidade também mudou: hoje são fêmeas e filhotes; antes, eram machos e adultos.

Outro habitat de botos cinzas é a Baía de Guanabara. Na década de 80, havia mais de 400 residentes. Tanto que eles estão na bandeira do Estado do Rio.

Postar um comentário

Postagens mais visitadas