Contagem regressiva para erupção? Nova onda sísmica sacode supervulcão de Yellowstone

Uma nova onda de sismos abalou a zona do supervulcão de Yellowstone, na costa oeste dos EUA. Mais de 200 terremotos de pequena magnitude foram registrados em apenas 10 dias.


Sputnik

Segundo os geólogos, os sismos começaram em 8 de fevereiro no estado de Montana, aumentando drasticamente a partir de então, informou o jornal Daily Mail.


Resultado de imagem para supervulcão de Yellowstone
Yellowstone Morning Glory Pool | Reprodução

A nova onda sísmica aconteceu no mesmo lugar onde no verão de 2017 se produziram 2,4 mil tremores em apenas quatro meses.

Cientistas acreditam que o número de sismos pode ser muito maior que 200, já que muitos destes passaram despercebidos. É possível que estes movimentos tenham sido causados por uma combinação de processos subterrâneos.

Mesmo assim, a atividade sísmica na zona permanece em uma faixa relativamente baixa e o nível de alerta está sendo considerado normal.

A NASA tem um plano para reduzir a ameaça que representa a caldeira de Yellowstone. O possível projeto prevê escavar um canal de 10 quilômetros de profundidade para alcançar o supervulcão e despejar água em alta pressão para diminuir sua temperatura.

Tal missão custaria cerca de US$ 3,5 bilhões (R$ 11,4 bilhões), mas a NASA considera esta solução a mais viável.

O calor provocado pelo vulcão pode ser utilizado como fonte de energia. A eletricidade assim produzida teria preços muito atrativos, aproximadamente US$ 0,1 (R$ 0,3) por quilowatt.

No entanto, tal operação ameaça causar exatamente a erupção que a NASA está tentando prevenir.

Postar um comentário

Postagens mais visitadas