Prêmio apoiado pela ONU reconhece avanços na conservação da biodiversidade

Até 15 de junho, a ONU e a Fundação Ambiental AEON recebem inscrições para uma premiação que reconhecerá avanços na conservação e uso sustentável da biodiversidade. O prêmio Midori seleciona a cada dois anos cidadãos, governos, organizações internacionais, pesquisadores e empresas que trabalham pela preservação da riqueza natural do planeta. Iniciativa celebra conquistas excepcionais nas áreas de ciência, políticas, conscientização pública e ação prática.


ONU

Para concorrer, candidatos devem satisfazer pelo menos um dos três critérios: ter alcançado avanços que contribuíram consideravelmente para a proteção e gestão sustentável da biodiversidade; ter potencial para influenciar atividades futuras relacionadas à conservação e ao uso responsável da variedade de espécies do meio ambiente; ou ter conduzido iniciativas com impactos em diferentes partes do planeta.


Mico-leão-dourado na Reserva Biológia Poço das Antas, no Rio de Janeiro. Foto: Flickr (CC)/Bart van Dorp
Mico-leão-dourado na Reserva Biológia Poço das Antas, no Rio de Janeiro. Espécie é considerada em perigo pelo Ministério do Meio Ambiente do Brasil. Foto: Flickr (CC)/Bart van Dorp

As realizações dos inscritos serão avaliadas com base em suas contribuições internacionais, sociais e na área de conservação e uso sustentável da biodiversidade; perspectivas a longo prazo e continuidade; criatividade e originalidade; abertura para a sociedade civil; eficácia e influência.

O Secretariado da Convenção das Nações Unidas sobre Diversidade Biológica, vinculado à ONU Meio Ambiente, é responsável pela co-organização da premiação, que também conta com o apoio do Ministério do Meio Ambiente do Japão.

É possível indicar candidatos ao prêmio por meio do site da Fundação Ambiental AEON. Saiba como clicando aqui.

Um comitê de seleção fará uma primeira triagem dos inscritos, que serão avaliados posteriormente por um júri.

O painel de jurados é composto por Cristiana Pașca Palmer, chefe do Secretariado da Convenção da ONU sobre Diversidade Biológica; Kunio Iwatsuki, professor emérito da Universidade de Tóquio; Daizaburo Kuroda, membro sênior do Instituto para Estratégias Ambientais Globais; Anne McDonald, professora da Escola de Pós-Graduação de Estudos Ambientais Globais da Universidade de Sophia; Shiro Wakui, professor do Departamento de Estudos Ambientais e de Informação da Universidade da Cidade de Tóquio e vice-presidente do comitê japonês para a Década da ONU sobre Biodiversidade; e Hamdallah Zedan, presidente do Comitê Preparatório para a 14ª Conferência das Partes da Convenção da ONU sobre Diversidade Biológica.

Saiba mais sobre o prêmio Midori clicando aqui (em inglês).

Postar um comentário

Postagens mais visitadas