Vulcão Nevados de Chillán provoca alerta laranja no Chile

Coluna de fumaça branca e série de tremores indicam aumento de atividade e eventual erupção. Complexo vulcânico composto por 17 crateras, situado na região do Biobío, na Cordilheira dos Andes, é um dos mais ativos do país.


France Presse


Uma coluna de fumaça branca e uma série de tremores preveniram as autoridades chilenas sobre o aumento da atividade do complexo vulcânico Nevados de Chillán (sul), o que provocou o aumento do nível de alerta, de amarelo para laranja, diante de uma eventual erupção.

Vista do vulcão Nevados de Chillán, em Las Trancas, no Chile, na sexta-feira (6) (Foto: Martin Bernetti/AFP)
Vista do vulcão Nevados de Chillán, em Las Trancas, no Chile, na sexta-feira (6) (Foto: Martin Bernetti/AFP)

Rodeado de exuberantes florestas e rios cristalinos, este complexo vulcânico composto por 17 crateras, está situado na região do Biobío (550 km ao sul de Santiago), na Cordilheira dos Andes. É um dos mais ativos do Chile, e por isso foi monitorado constantemente durante os últimos anos.

Desde 2015, mantinha o nível de alerta amarelo, mas a partir de dezembro algumas erupções menores de cinzas alertaram os especialistas sobre o aumento da atividade neste maciço de 3.200 metros de altitude.

Equipes da polícia chilena e especialistas do Serviço Nacional De Geologia e Mineração (Sernageomín) observaram nas últimas horas uma enorme coluna de fumaça branca em uma das crateras do complexo.

O Sernageomín detetou, além disso, um fluxo incomum de lava em uma cratera que poderá transbordar a qualquer momento, enquanto os dados obtidos a partir das 10 estações de monitoramento que analisam a cada minuto este maciço registraram cerca de 4 mil tremores e 800 explosões.

Diante da alta probabilidade de que ocorra "um evento eruptivo explosivo maior do que observamos nos últimos meses", foi decidida a elevação do alerta a laranja, disse Álvaro Amigo, chefe da rede nacional de vigilância vulcânica de Sernageomín.

O início do processo de erupção deste vulcão não pode ser precisado, de modo que seu monitoramento é constante a partir do observatório vulcanológico dos andes do sul, situado na cidade de Temuco (600 km ao sul de Santiago).

O complexo teve uma dezena de erupções de diferentes magnitudes entre 1861 e 2003. Sua última erupção maior foi em 1973 e não causou vítimas fatais nem danos significativos.

O vulcão fica próximo a uma zona de alta relevância turística com centros de esqui e hotéis de luxo, mas não centros urbanos muito povoados.

Postar um comentário

Postagens mais visitadas