Chuva de granizo que formou 'mar de gelo' no interior de SP é incomum no inverno, diz meteorologista

Temporal com pedras de gelo assustou moradores de Itararé (SP). Outras cidades da região de Itapetininga também registraram chuva de granizo.


Por G1 Itapetininga e Região

A chuva de granizo que atingiu a região de Itapetininga (SP) e chamou a atenção dos moradores de Itararé (SP) por formar um “mar de gelo” em uma das ruas, nesta terça-feira (31), foi causada por uma frente fria que passou pelo litoral de São Paulo e levou instabilidade para o interior de São Paulo.

Área central de Itararé amanhece coberta de gelo nesta terça-feira (31) (Foto: Arquivo Pessoal/Ricardo Takeda)
Área central de Itararé amanhece coberta de gelo nesta terça-feira (31) (Foto: Arquivo Pessoal/Ricardo Takeda)

Segundo o meteorologista do Instituto de Pesquisas Meteorológicas (IPMet) de Bauru, André de Decco, esse tipo de chuva não é comum no inverno, já que o granizo está associado a nuvens carregadas, o que é típico do verão.

“A época mais comum de ocorrência de granizo é em meados da primavera e no verão. Mas não quer dizer que não ocorre em outra época do ano porque isso depende do grau de instabilidade da atmosfera. E a frente fria que passou no litoral favoreceu a formação de nuvens associadas às tempestades e a ocorrência de granizo em vários municípios da região de Itapetininga", afirma.

Como ocorre?

Ainda de acordo com o meteorologista, a chuva de granizo ocorre quando há formação de cúmulo-nimbos, que são nuvens grandes que ficam bem no alto.

Gotas de chuva se acumulam nessas nuvens e elas ficam a uma altura que pode ser de vários quilômetros. Como a temperatura é abaixo de zero, as gotas de água congelam e, por causa do peso, caem em forma de chuva de granizo.

A quantidade de granizo que caiu foi tão grande que a rua Ambrósio Dias Tatit, na área central da cidade, ficou coberta por placas de gelo com mais de 10 centímetros de altura.

Vários moradores compartilharam nas redes sociais fotos e vídeos da chuva com granizo que atingiu a cidade.

O gelo danificou telhados e também se acumulou em quintais de casas. Não há informações sobre desabrigados.

A Prefeitura de Itararé (SP) informou, em nota ao G1, que a creche Adeleide Barco Perusso foi atingida pela chuva. O telhado do refeitório e de algumas salas de aula desabou.

Os reparos serão feitos emergencialmente e a previsão é de que até esta quarta-feira (1º) a situação seja normalizada. O calendário escolar não foi prejudicado, pois os alunos se encontram em recesso escolar, sendo o retorno programado para esta quarta-feira (1º).

As cidades de Itaí, Nova Campina, Piraju, Itaberá, Guareí e Boituva também registraram chuva de granizo.

Em Nova Campina, a prefeitura decretou estado de emergência após 522 casas terem sido atingidas pela chuva.

Na zona rural, duas residências foram destelhadas, segundo a prefeitura. Em atendimento à ocorrência, a Guarda Civil Municipal cobriu os imóveis com lonas de plástico e outra equipe contabilizou as telhas necessárias para o reparo, que será feito.

Na cidade, três casas, localizadas nos bairros dos Ginásio, Jardim Fronteira e Vila Nova Esperança, sofreram com infiltração. A rua Ambrósio Dias Tatit foi interditada por conta da grande quantidade de granizo no local.

Ainda segundo a prefeitura, as máquinas da Secretaria Municipal de Serviços Municipais já estão trabalhando para que a situação seja normalizada.

De acordo com o secretário Gilberto Côrtes, mais de seis caminhões basculantes carregados de gelo serão retirados do local. A rua 24 de outubro também passará por reparos em virtude do acúmulo de gelo.

Postar um comentário

Postagens mais visitadas