Cientistas franceses pedem socorro ao meio ambiente

Centenas de especialistas soam o alarme contra mudanças climáticas. Em apelo publicado na capa de um dos principais jornais do país, eles pedem que governos adotem medidas urgentes de combate ao aquecimento global.


Deutsch Welle

Num apelo conjunto publicado na capa da edição deste fim de semana do jornal Libération, 700 cientistas franceses alertam a comunidade internacional para uma iminente catástrofe climática. Eles instam governos de todo o mundo a agirem rapidamente para conter o aquecimento global.

Lago Poopó desapareceu na Bolívia
Lago Poopó desapareceu na Bolívia: evidência das mudanças climáticas?

Os desafios das mudanças climáticas só podem ser resolvidos por meio de "mudanças imediatas no contexto de metas claras e ambiciosas" até 2030, diz o texto.

Segundo os especialistas, as mudanças climáticas estão em pleno vapor e são cada vez mais perceptíveis, por exemplo, com o aumento da temperatura média, o derretimento das geleiras, a elevação do nível do mar, a destruição dos ecossistemas e a acidificação dos oceanos.

"Discursos não são suficientes, como mostram os últimos números de emissões de gases estufa", criticam os especialistas, que incluem ambientalistas e físicos, bem como economistas. O montante total da queima de combustíveis fósseis, como carvão, petróleo e gás, aumentou 1,8% na Europa e 3,2% na França em 2017 em comparação com o ano anterior, informa o alerta.

Os cientistas reclamam que a luta contra o aquecimento global está progredindo muito lentamente. Eles citam Acordo Climático de Paris, de dezembro de 2015, que estabeleceu um plano de ação para limitar o aumento da temperatura média global para bem abaixo de dois graus Celsius em relação aos níveis pré-industriais. Um projeto dessa magnitude, no entanto, não será realizado com a simples assinatura de um acordo, alertam.

Ao mesmo tempo, os cientistas apontam que "muitas soluções de combate às mudanças climáticas já estão disponíveis". Entre elas, estão o uso de energia livre de carbono, melhor isolamento térmico de edifícios e a agricultura orgânica. Os cientistas enfatizam que a luta contra o aquecimento global é "um objetivo político de primeira ordem".

"Levante-se pelo clima"

Na capital tailandesa, Bangcoc, é realizada até este domingo (09/09) a última grande rodada internacional de negociações antes da próxima Conferência da ONU sobre Mudanças Climáticas, que deverá se realizar em dezembro, em Katowice, na Polônia.

Na Tailândia e também em outros 82 países, incluindo a Alemanha, estão previstas manifestações e outras ações de protesto em prol de mais determinação para a proteção climática, por ocasião do Dia Global de Ação Climática Rise for Climate (Levante-se pelo clima), neste sábado.

Postar um comentário

Postagens mais visitadas